Voluntariado: fazer ou não fazer?

Olá! Bem-vindos a mais um post no blogue. 😀
Hoje, venho-vos falar da minha experiência a fazer voluntariado (nacional).

______________________________________________________________________________________

Antes de mais, acho que é importante saber o que realmente significa fazer voluntariado.

“O voluntariado… traduz-se numa relação solidária para com o próximo, participando, de forma livre e organizada, na solução dos problemas que afetam a sociedade em geral.”
O voluntário “é um indivíduo que de forma livre, desinteressada e responsável se compromete… a desenvolver ações de voluntariado em prol de indivíduos, famílias e comunidade”. “Actuar como voluntário é ter um ideal por bem fazer, que assenta numa relação de solidariedade traduzida em gratuitidade no exercício da actividade, prestando serviços não remunerados em benefício da comunidade.”

____________________________________________________________________________________________

Desde que me lembro, sempre fui uma rapariga que, sempre que podia, tentava ajudar os outros, da melhor forma que conseguia. Nunca gostei de ver pessoas tristes, desamparadas, com algumas dificuldades e que, infelizmente, não tinham qualquer esperança nos seus olhos.
Ao longo dos anos, fui-me apercebendo, que sou uma pessoa que fica feliz ao ver os outros também felizes.
Se calhar, foi daí que surgiu o meu interesse pelo voluntariado. É algo que gosto imenso de fazer. Ser voluntária, seja em que organização for e, em que projeto for, preenche-me completamente por dentro.

Até ao dia de hoje, apenas participei em projetos de voluntariado nacionais. Mas, o meu grande desejo é, um dia poder participar num que seja internacional. Só me vou sentir 100% realizada, quando me for dada a oportunidade, de poder ajudar aquelas crianças, idosos ou famílias inteiras, que passaram por situações completamente devastadoras. Gostava imenso de ir para zonas que foram destruídas por catástrofes naturais; para locais que estão a ser palco de guerras; para países que não conseguem dar às populações, as condições necessárias para terem uma vida digna e próspera.
É fundamental, que todas as famílias tenham acesso a boas condições higiénicas, a uma boa rede de escolas, a uma boa alimentação, a sítios especializados em saúde, como hospitais e clínicas, a água limpa e pura, etc.

Mas, os projetos nacionais, nos quais eu já tive envolvida, também me preencheram muito por dentro. Sabendo, contudo, que no meio de tudo isto, nós que ajudamos, não somos o que mais importa, posso afirmar, com todas as certezas, que no final do dia, o voluntário, sente uma paz interior, incomparável a qualquer outra que já tenha sentido, anteriormente. A diferença é gigante. Aqui, nós temos a certeza que alguém que precisa, foi beneficiado. E, quem sabe?! Quem sabe, que com a nossa ajuda, a sua vida, pode dar uma grande volta. Esta volta que poderá enviar-lhe em direção ao sucesso!

Se me perguntarem se vale a pena fazer voluntariado, a minha resposta será simples… Claro que sim! Claro que deves ser voluntária/o!
Fazer voluntariado torna-te uma pessoa melhor! Uma pessoa mais humilde, mais compreensiva e mais atenciosa.
Ao pensarmos nas atrocidades que muitas famílias passam lá fora, como por exemplo na Síria, no Haiti e em alguns países Africanos, ficamos a achar que os nossos problemas não são nada comparados com os deles. Claro que os nossos também têm a sua gravidade e importância, mas a maior parte de nós não sabe o que é perder uma casa e os seus pertences; não sabe o que é perder uma família inteira por causa da guerra; não sabe o que é passar fome extrema e não ter água limpa para beber; Não sabe o que não é ter a oportunidade de estudar…
Ao pensarmos nisto, damos graças ao que temos. E, se temos a possibilidade de ajudar, então devemos de o fazer!

____________________________________________________________________________________________

Espero que tenham gostado do post de hoje!
Quarta-feira irá sair outro. Estejam atentos!
Beijinhos! ♥ 🙂

 

 

*Todas as afirmações com aspas, foram tiradas do seguinte blog: https://voluntariadoesmt.wordpress.com/ *

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

2 Comments Add yours

  1. Ser voluntário – um verdadeiro voluntário, porque os há dos outros – é deixar que o amor genuíno que temos pelo próximo, passe a ações! Com isto quero dizer que deve ser bom ser voluntário nessas grandes organizações e causas, onde tanta gente precisa de ajuda, mas um gesto de amor por um sofredor que nos aparece pela frente, é um gesto voluntário, para diminuir o seu sofrimento.

    Liked by 1 person

    1. Concordo com tudo o que disseste! 😉

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s